Uma doença que afeta as células que produzem a melanina (pigmento que dá cor a nossa pele), ainda sem causa definida, mas com fortes atribuições imunológicas, de modo que é sempre importante investigar, através de exame clínico ou laboratorial, outras doenças que podem caminhar juntas com o vitiligo, como doenças da tireóide e diabetes.

É uma doença crônica, não contagiosa, ainda sem cura definida, porém é uma doença bastante estudada. Apresenta alguns fatores agravantes como o estresse emocional ou mecânico (fenômeno de Koebner: lesões de vitiligo aparecem em local previamente machucado).

Atualmente dispõe-se de alguns medicamentos e técnicas terapêuticas para manejo da doença, lembrando que é importante num primeiro momento estabilizar o aparecimento e crescimento das lesões, para então repigmentar as lesões acrômicas ou hipocrômicas da pele.