O herpes zoster é causado pelo mesmo vírus que causa a varicela (catapora): após o primeiro contato do individuo com o vírus ocorre a manifestação da catapora e então o vírus fica incubado em um nervo. Em algum momento de baixa de imunidade do organismo, o vírus incubado pode se distribuir ao longo do nervo e gerar as lesões do herpes zoster. Normalmente se inicia com dor e formigamento em local, no qual, aparecerão as lesões, sempre respeitando o limite de um lado do corpo e um dermátomo específico. Inicia-se por vesículas, que evoluem com a ruptura e formação de crostas. É importante lembrar que o conteúdo destas vesículas contém o vírus da varicela, e pode transmitir a doença, de modo que, deve-se orientar ao paciente sobre as formas de evitar contagio de crianças ou outras pessoas que não tenham tido varicela e que possam estar no convívio.

A afecção dura em torno de sete dias em indivíduos saudáveis, e o tratamento com antivirais é importantíssimo para a melhora rápida, assim como o uso de medicações de controle da dor. Por ser uma doença que acompanha o nervo, mesmo após a resolução do quadro cutâneo, o paciente pode persistir com dor no local, sendo então diagnosticado com nevralgia pós herpética, uma complicação de difícil manejo.

Alguns pacientes apresentam herpes zoster recorrente e necessitam de cuidados especiais. O tratamento vai depender da indicação, após previa consulta, podendo neste caso, ser necessário um tratamento prolongado com anti-virais, outros medicamentos e até a vacina de herpes zoster.